Migas três sabores

_

Um acompanhamento especial para o almoço de Páscoa

Já estamos a testar o menu para o próximo Domingo de Páscoa. Será carne, certamente. Provavelmente, uma peça de borrego assada e uma segunda opção para os mais esquisitos.

Pensámos nos vários acompanhamentos possíveis e resolvemos fazer migas de vários sabores. Misturámos tomate, couve, alho, piripíri, pimentão, entre outros ingredientes.

Esta receita de migas foi ligeiramente adaptada das tradicionais, que são feitas com banha ou com a gordura da carne. Alterámos e utilizámos azeite. Ficaram deliciosas e muito mais saudáveis.

Já decidiu o que vai fazer para o almoço de domingo?

Até para a semana.

Tempo: 2/3

Custo: 1/3

Dificuldade: 1/3

Classificação (0 votos)

Preparação

Para as migas de couve, coza a couve em água fervente com sal, por 5 minutos. Corte o pão em fatias e coloque numa tigela. Regue com o caldo da cozedura da couve e deixe amaciar. Refogue os alhos picados no azeite e junte o pão demolhado e a couve. Tempere com sal, alho e pimentão e cozinhe até secar. Envolva o vinagre e agite o tacho para enrolar as migas. Coloque num recipiente de servir.

 

Para as migas de tomate, coloque o pão e a broa fatiados numa tigela. Cubra com água quente e reserve. Refogue a cebola e os alhos picados no azeite. Junte o tomate em pedaços, sem pele e sem sementes, e deixe amaciar. Envolva o pão escorrido e tempere com sal, tomilho e alho e piripiri. Agite o tacho para enrolar as migas e coloque no recipiente de servir.

 

Para as migas de alho, corte a broa em fatias, sem a côdea, e cubra com água quente. Refogue os alhos laminados no azeite e junte a broa escorrida. Tempere com sal, alho e pimentão e o louro triturado. Regue com o vinagre e mexa até secar. Agite o tacho para enrolar as migas. Junte ao prato onde já colocou as restantes migas. Decore a gosto.

Boa viagem, Espiga
_

Sabia que...

O louro era símbolo de virilidade na Roma Antiga e servia para coroar imperadores. Já os gregos usavam-no para honrar os campeões atléticos.

_

E também...

O óleo do louro é libertado lentamente, o que o torna adequado a cozeduras mais longas. Tem características anti-sépticas e também favorece a digestão.

Notas e Memórias

0 comentários